Com a Residência Armadale, nós pretendemos criar uma construção saudável. Para alcançar este objetivo, observamos não só o ar fresco e a proximidade das árvores e do parque, mas também o uso de tintas e colas orgânicas e de baixo-VOC, iluminação indireta, ventilação cruzada e vidro de baixa emissividade. Este é o aspecto experimental da arquitetura e estamos prestando cada vez mais atenção a ele na RMA.

Rob Mills

O armazém original na Armadale Residence, no bairro de Armadale, Melbourne, foi uma construção crucial para Rob Mills, uma vez que ele se conectou profundamente com seu amplo espaço interior enquanto lá residia, antes de embarcar em sua reconstrução como a residência para a sua própria família. O que antes era uma fábrica de papelão na orla de um parque arborizado tornou-se habitável em amplos e extensos gestos que brincam com as forças do seu interior ressonante.

Por se tratar de um projeto pessoal, a renovação do espaço tem sido um desafio. "Quando você projeta para si mesmo, não há pontos de referência", diz Mills. “Eu estava interessado, no entanto, em garantir que houvesse bastante iluminação, que os materiais impulsionassem um forte espírito de design e, além disso, que se tornasse uma residência familiar ao invés de um apartamento de solteiro”.

A construção foi dividida de forma a ser funcional e inspirador. Há um apartamento independente de dois quartos no piso térreo, que pode ser alugado ou usado para hóspedes, enquanto a área principal, no primeiro andar – seguindo a tradição europeia - tem tetos elevados, de 3,4 metros.

Há uma sensação de luxo em jogo, não apenas no espaço, mas na seleção de materiais, como eles são usados e interagem entre si. As paredes são rebocadas e de estuque aveludado, os pisos de pedra são de uma pedreira de Verona que se mantem há 6 gerações , um mármore cinza/branco com vestígios de vermelho-acastanhado, enquanto o tour de force da cozinha de metal evoca um espírito de arte ao invés de domesticidade . A escada em espiral, um elemento característico de Rob Mills, fica sob vidros, enquanto a superfície macia da parede permite que os olhos deslizem, desimpedidos, até o céu.

As molduras das portas são profundas e revestidas de metal, enquanto a "sala de inverno", influenciada por seus estudos das tradicionais mansões inglesas, com painéis de madeira e janelas embutidas, assume uma caraterística completamente diferente.

O esplendor de um piano de cauda restaurado é contraponto às peças e móveis escolhidos, que trazem um senso personalidade para a concha recuada.

Read more
Stuart Street
architecture staircase
bathroom design australia
concrete stairs
interior design
bathroom designers
o email Baixe nosso prospecto

Espaço